sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Afinal, de Quais Marcas Precisa um "Rei do Camarote"?

Nas últimas semanas o vídeo do "Rei do Camarote" tomou conta das redes sociais com seus bordões e mandamentos. Nessa postagem vamos desvendar (e desmistificar) um mandamento: para ser um "rei do camarote" é preciso vestir determinadas marcas.

Afinal, de Quais Marcas Precisa um "Rei do Camarote"? A resposta simples é: nenhuma. 

Qualquer pessoa pode estar muito bem vestido, por exemplo, com uma camiseta lisa fazendo sobreposição com um blazer escuro. Esse era o uniforme informal de Eike Batista quando tinha seus US$ 30 bilhões e podia comprar vários camarotes. Giorgio Armani também é adepto das camisetas lisas - sozinhas ou com blazer.

 Giorgio Armani, de camiseta preta e de camiseta branca com blazer escuro. Eike Batista, de blazer e camiseta.

O próprio Armani afirmou que as marcas não são o mais importante para vestir bem, ao dizer que seu amigo estilista español Balenciaga (já morto) era o único que era realmente grande estilista. Os demais viviam (e vivem) das etiquetas e não do talento criativo. 

Para as "rainhas do camarote" vale saber que Coco Chanel, da Casa Chanel, era uma menina de orfanato, que por suas condições não tinha vestidos e criava peças com as roupas ganhadas dos meninos da instituição. Com isso reinventou a moda feminina e hoje é um dos símbolos máximos da moda para mulheres. 

As marcas comerciais mais caras (como Armani, Zegna, Cavalli, YSL) tem sem dúvida uma grande qualidade em suas peças. Mas hoje o custo de fabricação dessas peças é apenas uma pequena fração do preço final do produto, com a maioria das roupas sendo fabricadas em Bangladesh, China, Egito e Perú. O que faz uma camisa Giorgio Armani custar R$ 600,00 é o trabalho de marketing e branding da marca, não o custo de fabricação. Por isso mesmo, por R$ 60,00 você pode comprar camisas com o mesmo estilo, a mesma proposta e estar bem vestido. 

Fica a lição: o importante na moda (e principalmente na masculina) é o feeling, a percepção de estilo e atitude. As marcas estão em segundo plano.

Nossa dica: aprenda um pouco sobre cores, combinações, momentos para usar cada peça (o blog tem várias dessas postagens) e tenha você mesmo seu próprio estilo, é isso que faz uma pessoa bem vestida.

Não importam as marcam, existem apenas dois tipos de pessoas: os que seguem a tendência e os que criam a tendência. Se um dia alguém disser: "isso está fora de moda", você responde "não, é a próxima tendência, por isso eu estou usando".

Isso sim vai agregar valor ao camarote!


Comente e compartilhe!


Nenhum comentário:

Postar um comentário